segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Impressionantes crianças prodígios em lutas e artes marciais

Hoje me deparei com quatro vídeos encontrados em comunidades de lutas e artes marciais e fiquei bastante impressionado com o que vi.

O primeiro vídeo mostra um garoto praticante de taekwondo com uma consciência corporal fora do comum. Pelo que diz no vídeo ele só tem 7 anos, e é dinamarquês. Frederik demonstra em todos os vídeos uma capacidade de aproveitar oportunidades, fintar, e contra-atacar que é difícil de ensinar até para adultos com um bom potencial motor. De todo o vídeo, a cena mais impressionante é o chute em 4:15, um “Neryo Tchagui” no oponente enquanto este arrumava o capacete. Parecia um trator.



O segundo vídeo mostra um garoto praticante de luta greco-romana (wrestling), também de 7 anos, e igualmente com uma capacidade assustadora. É de deixar de queixo caído ver o que esse guri, Stevo Poulin, é capaz de fazer.



O terceiro vídeo mostra um menino, de provavelmente 3 anos, boxeando como um profissional. É impressionante a precisão dos socos, as sequências, os cruzados, os movimentos dos pés... realmente um prodígio.



O quarto vídeo mostra uma menina treinando muay thai. A técnica e a potência dos golpes desta menina, que ainda está alguns anos distante da adolescência, impressiona.

Lyoto Machida treina forte ao lado de Anderson Silva

Parceiros de treinamentos e de equipe, Anderson ‘The Spider’ Silva e Lyoto ‘The Dragon’ Machida já comentaram diversas vezes que a possibilidade de se enfrentarem pra valer no UFC é nula. O Aranha é campeão da categoria até 84 kg (médios), mas já se aventurou também no meio-pesado (até 93 kg), na qual Machida compete e deteve o cinturão.

Para aguçar a curiosidade dos mais fanáticos sobre o que poderia rolar se a luta acontecesse, o time da Blackhouse - sediado em Los Angeles (EUA) - disponibilizou um vídeo com fragmentos das sessões de sparring de alto nível realizadas constantemente pela dupla.

A data em que as sessões aconteceram não foi divulgada. Aos 47 segundos do vídeo, Anderson inclusive chega a treinar o chute frontal que nocauteou Vitor Belfort no UFC 126, no último dia 6.

Spider atualmente curte breve período de férias após a última defesa de cinturão. Machida treina firme para o compromisso contra o veterano Randy Couture, na edição 129, dia 30 de abril, no Canadá. O lutador radicado em Belém do Pará vem de duas derrotas consecutivas (contra Maurício Shogun e Quinton Rampage Jackson) e precisa da vitória para se manter entre os melhores.

Veja abaixo o video com drops do ‘treino de luxo’ dos brasileiros. E você? Quem acha que venceria?

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Wanderlei Silva inova criando 'reality show'


Um dos atletas mais carismáticos do mundo das lutas e considerado uma das lendas do MMA, o brasileiro Wanderlei Silva também mostra talento fora do octógono como empresário.

Depois de inaugurar sua academia em Las Vegas e ve-lâ ser eleita a melhor do mundo para o MMA em menos de dois anos, o atleta inicia mais uma empreitada: seu próprio 'reality show'.

Ele lançou no último fim de semana um programa em seu canal no YouTube: o ‘Fighter Life’ (Vida de Lutador). O programa conta com a participação de 14 aspirantes a astros da artes marciais de diversos países, que serão treinados por duas semanas pelo atleta do UFC. Wanderlei diz que quer mostrar “como é dura a vida de um lutador profissional”.

O ex-campeão do extinto Pride também tenta aproveitar o sucesso de outro programa similar. O reality show ‘The Ultimate Fighter’, do UFC, é um dos campeões de audiência nos Estados Unidos, está gravando sua 13ª temporada e foi um dos principais responsáveis pela popularização do esporte no país.

O primeiro episódio de ‘Fighter Life’ foi ao ar no último fim de semana e está disponível online e de graça no Youtube. Confira:

sábado, 26 de fevereiro de 2011

MMA para Iniciantes - Parte 2 - Combate

Na primeira parte foi passado um ponto base do ambiente geral, de como a estrutura de um evento de MMA é formada e quais elementos básicos necessários para um evento ser realizado. Neste ponto falaremos sobre o combate em si, sua organização e algumas de suas variáveis.

1. STRIKING - LUTA EM PÉ


Strikers são lutadores com formação em artes marciais com golpes traumáticos como base, tendo uma forte representatividade do Muay Thai em competições de MMA, mas vários lutadores também vem do Karate, Taekwondo, Boxe, e até de algumas artes menos populares como o Jeet Kune Do.

A grande maioria de especialistas em técnicas de grappling e wrestling também acaba adotando uma arte para luta em pé, já que todos os combates começam em pé, e nem sempre é possível levar o oponente para fazer o trabalho de solo.

Existem lutadores como José Aldo que apesar de ter sua origem totalmente no Jiu-Jitsu Brasileiro, acabou se desenvolvendo tão bem na luta em pé, que as lutas acabam não indo mais para o chão, no caso de Aldo, apenas uma vitória de seu cartel foi por finalização no chão, em 2005.

O objetivo de um striker é buscar o nocaute, nocaute técnico (quando a luta é interrompida para preservar a integridade do atleta, mais sobre isso depois), ou pontuar encaixando o máximo de golpes possíveis. A luta em pé acaba sendo mais atraente para o publico pela facilidade de identificar quem está sendo superior.

2. GRAPPLING - LUTA DE SOLO


A luta de chão é de onde toda a mágica do MMA/Vale Tudo surgiu, Royce Gracie nas primeiras edições surpreendia todos os lutadores de artes marciais diferenciadas com suas desconhecidas técnicas de chão, frequentemente finalizando seus oponentes das mais variadas formas.

O objetivo de um grappler quando chega na luta de solo é passar a guarda do oponente, ou seja, se livrar dos bloqueios da perna do oponente, e alcançar uma posição de dominação, aonde consiga desferir golpes (Ground n’ Pound), ou alcançar o objetivo de finalização por submissão, aonde o oponente da 2 tapinhas (antigamente eram 3) demonstrando desistência. Quando em posição de desvantagem o objetivo se torna “Raspar” o oponente, invertendo a posição e assumir uma posição de vantagem.

É muito comum lutadores não baterem em situações de estrangulamento e acabarem apagando no meio do combate, com articulações é mais difícil de segurar devido a dor causada pelos golpes.

Curiosidade: Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a mecânica de um estrangulamento não é a restrição de oxigênio, e sim o bloqueio do fluxo sangüíneo para o cérebro, travando a carótida, em um estrangulamento bem encaixado a pessoa pode apagar em menos de 3 segundos. O que seria impossível em caso de restrição de oxigênio, já que normalmente pessoas conseguem ficar quase 60 segundos sem respirar com facilidade.

Posições Importantes:

- Guarda: Uma posição de defesa aonde o lutador mantém o adversário entre suas pernas, muito comum no Jiu-Jitsu esportivo, mas bem perigoso em lutas de MMA devido a facilidade do oponente golpear de cima. Golpes como armlocks, e estrangulamento triângulo entram facilmente desta posição.

- Meia Guarda: Posição de defesa aonde apenas uma perna do oponente está dominada, é muito comum a execução de raspagens dessa posição devido a facilidade de quebrar a estabilidade do oponente, no MMA é uma posição perigosa pela facilidade do oponente desferir golpes.

- Montada: É provavelmente a posição de maior vantagem que um lutador pode alcançar na luta de chão, uma grande variedade de golpes podem ser colocados, desde golpes traumáticos, até finalizações por estrangulamento, e chaves de braço. Quem está em baixo, bem, não é muito confortável não.

- 100 Kilos/Side Control: Uma posição bem confortável para quem está por cima,a guarda esta completamente passada, e as pernas livres para transições, é possível transitar para a montada ou, para a posição norte-sul(ou 69 como é mais popular no Brasil), é muito boa para encaixar chaves de braço “Kimura”, ou Kesa-Gatame.

- 69/North South: É uma posição bastante desconfortável para quem nunca treinou luta de chão, talvez uma das mais constrangedoras, é muito confortável para estrangulamentos em geral.

Importante: Tudo escrito aqui é apenas um básico para compreensão do que esperar em cada uma das situações, todas as posições possuem um enorme numero de variáveis, e incontáveis técnicas e finalizações que podem acontecer, então que sirva apenas de um guia básico do que esperar de cada uma das situações.

3. WRESTLING - PROJEÇÕES e QUEDAS

Frequentemente classificam wrestlers como grapplers, eu sempre fiz isso, mas lendo o livro “Pronto pra Guerra” o autor relaciona esses lutadores de uma forma diferente, já que apesar de ser uma luta “agarrada” e o combate se dá quase todo o tempo em pé, suas características se tornam diferenciadas dos grapplers. O Objetivo do Wrestler é projetar o oponente da forma mais contundente, ou para assumir uma posição de vantagem, ou para terminar o combate com uma projeção contundente. Luta Livre Esportiva, Greco Romana e o Judo são fortes referenciais de lutas onde a projeção acaba sendo o foco.



4. DIVISÕES DOS LUTADORES


Os lutadores são divididos em categorias de peso, seria covardia colocar um marmanjo de 130 aquilos para lutar com um cara de 65, então as categorias de pesos são divididas para que o combate seja feito de forma justa, e que exista a menor quantidade possível de diferença entre os lutadores.

Já vi muita gente falando que só gosta de luta heavyweight, que lá é onde as lutas acontecem de verdade, mas por opinião, sempre fui fã dos eventos que incluíam pesos mais leves, (até 70kg) onde as lutas são mais rápidas, e menos amarradas.

As categorias são (UFC RULES):

- Bantamweight - Galo - até 61
- Featherweight - Pena - até 65
- Lightweight - Leve - até 70
- Welterweight - Meio-Médio - até 77
- Middleweight - Médio - Até 84
- Light Heavyweight - Meio-Pesado - até 93
- Heavyweight - Pesado - até 120kg

É importante enfatizar que todos os lutadores são mais pesados que sua categoria, e que existe um trabalho pesado de corte de peso para lutarem como “topo da categoria”, apesar de alguns leigos citarem isso como “prática anti-ética”, é muito comum em esportes de combate. A pesagem ocorre sempre 24 horas antes do evento, então começa o trabalho para recuperar o máximo do peso até a hora da luta, normalmente recuperando grande parte do peso perdido.

5. O ÁRBITRO

Os árbitros de centro são responsáveis por verificar o cumprimento das regras, e penalizar caso seja caracterizada alguma falta, normalmente tirando um ponto do lutador penalizado. Outra função muito importante do árbitro é recomeçar o combate em caso da falta de combatividade, se a luta ficar muito parada no chão sem evolução o árbitro separa e recomeça a luta em pé. Quando a luta está parada em pé o árbitro cobra dos atletas mais ação.

Arbitros também são responsáveis por parar as lutas em caso de nocaute técnico, entrando no meio do combate, separando os lutadores. Muita polêmica existe quanto a má interpretação do árbitro quanto ao nocaute técnico, as vezes separando sem que o lutador esteja ou inconsciente, ou sem ação.

Big John MCarthy é um dos árbitros mais famosos do mundo do MMA, e considerado um dos melhores, com sua celebre frase “Ready? Ready? Let’s get it on!”

6. O FIM DO COMBATE


Apesar de parecer muito obvia a forma que um combate termina, existe algumas outras formas menos comuns, mas como todas as possibilidades devem ser previstas, então segue ai o que prevê o regulamento:

Submissão:
- Submissão (2 Tapinhas).
- Submissão Verbal.

Nocaute Técnico: Árbitro terminando a luta para preservação do lutador (que está apanhando).

Decisão por placar: sendo eles:
- Unânime:
Todos os juízes escolhem o mesmo lutador como vencedor.
- Decisão dividida:
Um juiz escolhe um lutador, e os outros dois escolhem o outro.
- Decisão da maioria:
Dois dos três juízes escolhem um lutador como vencedor, e o outro diz que é empate.
- Empate:
Empate unânime.
Empate pela maioria.
Empate dividido.

Decisão Técnica: lutador muito machucado para continuar lutando. (Os lutadores ainda querem lutar, mas o árbitro prefere interferir a luta.)

Empate Técnico: Os dois lutadores muito machucados para continuar lutando.

Desqualificação: Através de golpes ilegais.

Desistência: um lutador ou seu representante declaram desistência antes do inicio da luta, entregando a vitória para o outro oponente.

No Contest: Numa luta onde os dois lutadores usaram golpes fora da regra e um fica machucado o suficiente para não dar continuidade a luta, a luta é declarada sem vencedor.

Fonte: Kuro OBI

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

MMA para Iniciantes - Parte 1 - Teoria Geral


Com a expansão do MMA tradicional pelo mundo e agora na fase pós-ufc126 e com a retorno ao Brasil do maior evento da atualidade, existe uma grande necessidade de entender como funciona, e qual a dinâmica do combate, como saber o que está acontecendo e quem está ganhando de verdade.

Vou tentar explicar como funciona esse jogo e algumas terminologias de uma forma simples, e que provavelmente vai mudar a forma com que você que está chegando agora nesse mundo enxerga o combate. Não é um guia absoluto e nem vai te tornar um especialista mas vale para entender como a coisa funciona.



1. A ARENA

No MMA Tradicional a arena pode ter dois formatos, ringue ou jaula. Nos eventos nacionais você vai encontrar uma maior quantidade de eventos no formato ringue, mas devido ao crescimento e popularização do ufc, os eventos adotando jaula vem aumentando bastante.

As jaulas costumam ter alguns formatos diferenciados, o mais popular é o Octógono, que por ser patenteado pela Zuffa (UFC) acaba sendo usado apenas por eles. Outros eventos que usam jaula, como o Strikeforce adotaram um formato de hexágono, mas que aos olhos do público acaba não tendo muita diferença, pouca gente repara que a jaula tem seis e não oito lados. Alguns outros eventos usam jaulas quase redondas, apresentando um formato circular.

Os fãs mais antigos que acompanhavam os eventos japoneses como o Pride são mais acostumados com o ringue, e seguem com uma forte resistência contra as jaulas. O Ringue por não permitir que o jogo continue quando encostado nas cordas fazendo com que o combate recomece do centro, faz com que a luta seja mais dinâmica e mais difícil de se amarrar, é fácil observar a diferença entre a dinâmica de uma luta nos dois formatos diferentes.

2. EQUIPAMENTOS

Lutadores lutam com a roupa de escolha, normalmente optam por bermudas ou sungões e bermudas de muay thai, kimonos, calças e outras roupas de artes tradicionais acabaram sendo abandonados pela dificuldade de locomoção, e a vulnerabilidade contra grapplers (lutadores de solo).

As luvas utilizadas normalmente são de 7oz (onças), e os atletas recebem um a aplicação de vaselina no rosto antes de subirem na arena, para diminuir o atrito da luva na pele, por isso normalmente não vemos cortes com apenas um soco. Os outros equipamentos utilizados são protetores de boca, e coquilhas(protetores genitais).

3. DURAÇÃO DO COMBATE

Atualmente o padrão é de 3 rounds de 5 minutos para lutas sem disputa de titulo, e 5 rounds de 5 minutos para lutas disputando cinturão. Nos eventos mais antigos como o Pride e o Meca no Brasil, custumava-se ter 10 minutos no primeiro round, e 5 minutos nos dois últimos. Em caso de empate ao termino dos 3 ou 5 rounds, não são adicionados rounds extras, as lutas são classificadas como empate “draw”. Os intervalos entre os rounds são de 1 minuto.

4. NÃO VALE TUDO

Dentro de um universo onde quase tudo é válido é importante entender o que está fora das regras, segue o resumo básico:

- Não vale cabeçada, dedo no olho, mordida e puxar o cabelo
- Não vale atacar a boca do adversário com a mão aberta
- Não vale atacar a virilha do adversário
- Não vale enfiar o dedo em qualquer orifício ou corte do lutador
- Não vale manipular articulações pequenas dos adversários, atacar a coluna ou a nuca
- Não vale usar a ponta do cotovelo na cabeça de um oponente caído e atacar a garganta
- Não vale atacar a garganta, beliscar e arranhar e agarrar a clavícula
- Não vale chutar ou dar joelhada na cabeça do adversário no chão
- Não vale atacar o rim do adversário
- Não vale arremessar o oponente de cabeça no chão, nem atirar o adversário para fora do octógono
- Não vale segurar o calção e luvas e nem cuspir
- Não pode segurar na grade do octógono
- Não vale atacar adversário no intervalo, após a luta ou quando ele está sob cuidados dos juízes
- O corner não pode interfirir na luta, nem jogar a toalha



5. INFORMAÇÕES EXTRAS

Card: O Conjunto de lutas que acontecerá em um evento

Cartel: Quantidade de lutas vencidas por um lutador

Cutman: Responsável por tratar os cortes

Ring Girl: As meninas que passam com as placas dos rounds

Corner: Mesmo tendo muitos deles num octagon, o corner é a metade da jaula, vermelho ou azul; Corner é chamado também o membro da equipe do atleta responsável por dar instruções técnicas no intervalo do round.

WEC: Sigla para word extreme cagefighting, evento da Zuffa, que foi unificado ao UFC

M-1: Empresa do russo Fedor Emilianenko, promotora de eventos (M1-CHALLENGE) na russia e parceria com o evento americano Strikeforce.

K-1: Evento de artes marciais mistas exclusivo para lutadores strikers*

ADCC: Evento de artes marciais mistas para grapplers*

Jungle Fight: Principal evento brasileiro, porta de entrada dos lutadores para eventos estrangeiros.

Luta Livre: Não é MMA, é o nome dado no Brasil para o Wrestling

* Nem sempre categorizados como eventos de MMA, mas são eventos que mesclam lutadores de várias artes marciais, e que não se limitam apenas a uma modalidade, podendo ser classificados como eventos de artes marciais mistas. Por isso nas outras vezes me refiro no blog a “MMA Tradicional”.

*Strikers - Lutadores que trabalham com golpes contundentes (ex: karate, muay thai, taekwondo, kickboxing)

*Grapplers - Lutadores de Lutas de Chão (ex: Jiu-Jitsu, Wrestling, Sambo)

Fonte: Kuro OBI

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

"O Vencedor" - Uma luta dentro e fora dos ringues

“O Vencedor (The Fighter, 2011)” conta a história de dois irmãos ligados, não só pelo forte sentimento fraternal, mas também pelo amor ao boxe. O mais velho é Dicky (Christian Bale), um ex-lutador que ficou famoso ao nocautear Sugar Ray Leonard, uma lenda do boxe norte-americano, e, por isso, tornou-se o orgulho de Lowell, sua cidade natal. O mais novo é Micky (Mark Wahlberg), que sonha em um dia se tornar campeão mundial com base no que aprendeu com seu irmão.

Mark Wahlberg interpreta um lutador que sonha ser campeão mundial, mas que antes precisa superar problemas familiares (Foto: divulgação)

Confesso que, quando ouvi falar pela primeira vez sobre este filme, veio à minha cabeça aquela ideia estereotipada de filmes americanos que abordam o esporte, principalmente o boxe. Que ideia é essa? A ideia de filmes que colocam em primeiro lugar a competitividade, o glamour do esporte e a alegria de vencer e ser o melhor. “O Vencedor” não se trata disso. O foco está na dificuldade de se lidar com problemas familiares, principalmente quando esses problemas envolvem drogas e dinheiro. O boxe está em segundo plano.

Micky cresceu tendo Dicky como seu herói e sua mãe lhe orientando no sonho de ser um grande lutador. No entanto, essa relação entra em conflito quando Micky tem que lidar com várias derrotas consecutivas. Neste momento, o vício do seu irmão em crack e o descontrole emocional de sua mãe só pioram a situação. Charlene, uma garota que conheceu em uma bar, torna-se a sua paixão e a sua válvula de escape em meio a tanto problemas familiares.

Como já disse, em segundo plano vem o boxe. No filme, o esporte simboliza muito bem o que Micky passa com sua família. Por ser uma modalidade de luta que preza pelo imprevisível e pelas oportunidades de superação, a combinação com a vida pessoal de Micky é perfeita. Esse lado imponderável talvez explique porque o boxe faz tanto sucesso no cinema.

E é neste cenário do boxe que o filme também mostra a realidade nada glamourosa de dois tipos de atletas. A primeira realidade é a de Dicky, um ex-atleta que não consegue se desprender do passado e encontra nas drogas uma saída para não sofrer. A outra pertece a Micky, um lutador, que por não ser mais tão jovem (31 anos), se depara em uma decepcionante carreira de derrotas e insucessos. Em qualquer esporte, os dois exemplos podem ser facilmente encontrados na vida real. A maior prova disso é que o filme foi baseado numa história verdadeira.

No mais, vale destacar a brilhante atuação de Christian Bale, indicado ao Oscar de melhor ator coadjuvante. O filme também foi indicado a melhor filme, melhor diretor (David O. Russell), melhor atriz coadjuvante (Melissa Leo e Amy Adams), melhor roteiro original e melhor edição.

Para quem gosta da combinação drama/esporte, recomendo. No entanto, acredito que não leva o Oscar de melhor filme. Confira o trailler abaixo:

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Anderson Silva coleciona vitórias espetaculares

A 13ª vitória de Anderson Silva no UFC mostrou mais uma faceta do inesgotável arsenal de golpes do brasileiro. O chute reto que atingiu o rosto e nocauteou Vitor Belfort ainda no primeiro round, na madrugada deste domingo, garantiu ao brasileiro a manutenção do cinturão dos pesos médios.


A vitória ficará registrada na história do UFC por conta da execução de um dos melhores golpes da história do evento.


Diante de Belfort, Anderson acumulou a oitava defesa de título do cinturão dos médios.


Anderson Silva apanhou durante quatro rounds e meio do americano Chael Sonnen e parecia à espera de sua primeira derrota no evento e a consequente perda do cinturão.


Porém, no meio do quinto assalto, encaixou um triângulo e conseguiu uma finalização que deixou marcado o dia 7 de agosto de 2010 como um dos mais espetaculares da história do UFC.


Anderson Silva sofreu durante mais de 20 minutos e teve apenas uma oportunidade para vencer. E venceu...


Em uma categoria superior, Anderson Silva também foi absoluto contra Forrest Griffin no dia 8 de agosto de 2009.


Em uma luta normal, sem grandes golpes ou emoções, Anderson Silva venceu o compatriota Thales Leites por decisão unânime dos juízes no dia 18 de abril de 2009.


O combate do dia 25 de outubro de 2008 transcorria morno, sem uma atuação de gala do brasileiro, quando o canadense sentiu uma contusão no joelho e abandonou a disputa do cinturão.


Anderson Silva conquistou o cinturão dos médios do UFC pela primeira vez no dia 14 de outubro de 2006, quando acertou uma sequência de joelhadas contra Rich Franklin. Na sequência, até lutar contra o canadense Patrick Coté, venceu Travis Lutter com uma finalização, Nate Marquadt após sequência de socos, Rich Franklin novamente com uma variação de joelhadas e socos, Dan Henderson com uma guilhotina e James Irvin com uma sequencia de socos.

Bela luta entre um samurai e o demônio das sombras

Na cena mais convincente de um homem lutando contra uma sombra desde Peter Pan, o ator japonês Taichi Saotome combate algumas nuvens vagas, para depois enfrentar sua versão maligna e sombria. Trata-se de um espetáculo de luz feito no escuro, e vale a penar assistir.

Apresentação linda e empolgante, uma das mais impressionantes que já vi, a ação do ator japonês Taichi Saotome combinada com animação e efeitos de luz em sincronia perfeita ficou nota 10!

sábado, 19 de fevereiro de 2011

"Street Fighter: Legacy" ou "Street Fighter: Beginnings End", qual o melhor curta-metragem do jogo de luta?

Navegando pela internet, descobri dois curta-metragens baseados no jogo de luta "Street Fighter". São duas produções incríveis desenvolvidas por fãs: "Street Fighter: Legacy" e "Street Figher: Beginnings End".

Os dois curta-metragens são um tributo aos dois personagens mais emblemáticos dessa franquia, demonstrando o talento dos dois lutadores, Ken e Ryu. Foi um trabalho muito minucioso dos fãs, as duas cenas de luta são muito bem coreografadas.

Qual o melhor curta-metragem de "Street Fighter"? Difícil de julgar, os dois materiais são incríveis. Confiram abaixo:

"Street Fighter: Legacy":



"Street Fighter: Beginnings End":

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

José Aldo - O Homem Mais Perigoso do Mundo

Anderson Silva recebeu a alguns anos atrás a premiação de “O Homem Mais Perigoso do Mundo”, mas até então o mundo desconhecia José Aldo Junior, com seus apenas 66kg o peso pena campeão do World Extreme Cagefighting #wec e agora com a unificação dos títulos campeão dos penas do #UFC, eu transferiria este título facilmente para José “Scarface” Aldo.

Com um cartel de 18 vitórias e uma Derrota (Luciano Azevedo, Mata Leão, Jungle Fight 5), o Scarface como foi apelidado no WEC segue invicto desde 2005, e vem maltratando seus adversários com um estilos dos mais agressivos já vistos desde a época de ouro do Wanderlei Silva no #Pride.

Premiado como o Lutador do Ano de 2010 pelo MMA AWARDS, amedronta até o grande campeão do UFC Anderson Silva, que declara que “tem sorte de lutarem em categorias diferentes”. Aldo não perdoa ninguém.

Aldo é faixa-preta de Jiu-Jitsu, apesar de poucas vezes ser possível ver sua performance no chão essa é a arte de origem do Scarface, Mas com um Muay Thai muito afiado é que aldo acaba suas lutas, utilizando de low-kicks, joelhadas voadoras, e muitas seqüencias de socos e chutes, Aldo mantém o recorde de vitórias consecutivas no WEC (8), e está invicto desde 2005.

Aldo enfrentará em sua estréia no #UFC129 no dia 30 de Abril, Mark “The Machine” Hominick (20:8) fazendo assim sua primeira defesa de cinturão no evento, marcando também a volta de uma lesão (Aldo fala sobre a volta da lesão) que o deixou fora do UFC de ano novo.

Confira o que Jose Aldo Junior pode fazer nesse video:

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Jean-Claude Van Damme de Volta aos Ringues

Jean-Claude Van Damme, conhecido pelos filmes de artes marciais que protagonizou nas décadas de 80 e 90, está a preparar um documentário sobre os seus treinos para um combate de kickboxing, noticia o site Worst Previews.


Van Damme - hoje com 50 anos - foi muito emocionante na conferência de imprensa, e aparentemente, tem um monte de arrependimentos sobre como ele viveu a sua vida. E poderá também se arrepender de entrar no ringue com seu oponente Somrak Khamsing. Khamsing competiu em quatro diferentes olimpíadas como boxeador: 1992, 1996, 2000 e 2004. No Verão de 1996 nos Jogos Olímpicos ganhou uma medalha de ouro na categoria dos pesos pena, tornando-se o primeiro atleta da Tailândia a ganhar uma medalha de ouro nas Olimpíadas.

Khamsing é também uma estrela de filmes de ação assim como Van Damme, em sua terra natal a Tailândia . Os dois vão lutar em abril de 2011, em Las Vegas, Nevada. O vencedor dessa luta vai enfrentar o atual campeão mundial Jeffrey “The Squasher” Sun.

No vídeo, Van Damme fala emocionado dos arrependimentos de sua vida, e do seu envolvimento com o estilo de vida “Rock n’ Roll” como ele mesmo se refere, diz que está fazendo isso por todas as crianças com posteres do “Grande Dragão Branco” e “Kickboxer” na parede, para provar que ele é uma boa pessoa, e deve ser um exemplo.



A luta vai ser acontecer nas regras do K1, mas uma coisa interessante é que não existe nenhuma informação sobre o tal campeão mundial Jeffrey “The Squasher” Sun, só várias pessoas tentando saber quem é, estranho né?

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Animes e Artes Marciais

Para quem curte desenhos animados, ou artes marciais, existem uma quantidade enorme de animes que abordam especificamente artes marciais. Então navegando, descobri em uma comunidade de artes marciais, uma lista com algumas indicações bem interessantes, dêem uma olhada:

- Yawara - Judo;

- Karate Baka Ichidai - Karate;

- Shijo Saikyo No Deshi Kenichi - Karate, Kendo, Aikido, e várias outras;

- Sawamu - Muay Thai / Kickboxing;

- Hajime no Ippo - Boxe;

- Ring ni Kakero - Boxe;

- Grappler Baki - 'Grappling' em geral;

- Rurouni Kenshin (Samurai X) - Kenjutsu, Iaijutsu;

- Samurai 7 - Kenjutsu, Iaijutsu;

- Afro Samurai - Kenjutsu, Iaijutsu;

- Ninja Kamui - Ninjutsu;

- Street Fighter II Victory - Adaptação do jogo de luta Street Fighter II.

Alguns são muito bons, como Hajime no Ippo de boxe, e outros são bem antigos, mas vale a referência às lutas.

Lista selecionada na discussão da comunidade Artes Marciais do Orkut.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Judo

(O Caminho da Suavidade)


"Aos 18 anos, um jovem japonês chamado Jigoro Kano, que era pequeno e franzino por natureza, começou a praticar o Jiu Jitsu com a intenção de diminuir sua fraqueza física e melhorar sua saúde.
Após meses de prática, suas frustações só foram aumentando, já que o tradicional Jiu Jitsu era uma arte apenas para aqueles dotados de força física. Desta frustação, surgiu a idéia de modificar o tradicional Jiu Jutsu e criar o Ju do. Diferentemente do Jiu Jitsu, que se baseava no shin ken shobu (vencer ou morrer, lutar até a morte), o Ju do se baseava na lenda da origem do estilo Yoshin Ryu (Escola do Coração de Salgueiro), o ceder para vencer. Devido a sua ampla cultura geral, Jigoro Kano foi inserindo princípios da física, como equilíbrio, gravidade, deslocamento e sistema de alavancas, além de importantes ferramentas didático-pedagógicas de ensino, para fazer do Ju do uma arte perfeita e para todos". (Trecho da Coleção Artes Marciais, nº 9 - Ed. On Line)

Ideologias e espíritos

- Quem teme perder já está vencido.
- Somente se aproxima da perfeição quem a procura com constância, sabedoria e, sobretudo humildade.
- Quando verificares com tristeza que não sabes nada, terás feito teu primeiro progresso no aprendizado.
- Nunca te orgulhes de haver vencido a um adversário, ao que venceste hoje poderá derrotar-te amanhã. A única vitória que perdura é a que se conquista sobre a própria ignorância.
- O judoca não se aperfeiçoa para lutar, luta para se aperfeiçoar.
- Conhecer-se é dominar-se, dominar-se é triunfar.
- O judoca é o que possui inteligência para compreender aquilo que lhe ensinam, paciência para ensinar o que aprendeu aos seus semelhantes e fé para acreditar naquilo que não compreende.
- Saber cada dia um pouco mais e usá-lo todos os dias para o bem, esse é o caminho dos verdadeiros judocas.
- Praticar judô é educar a mente a pensar com velocidade e exatidão, bem como o corpo obedecer com justeza. O corpo é uma arma cuja eficiência depende da precisão com que se usa a inteligência.

Entenda melhor assistindo:

Tiago Camilo é prata, e Mayra Aguiar leva o bronze no Grand Slam de Paris

Tiago Camilo e Mayra Aguiar deram mais duas medalhas para o Brasil no Grand Slam de Paris, a abertura da temporada 2011 do Circuito Mundial. Camilo ficou com a prata entre os médios, enquanto a meio-pesado Mayra ganhou o bronze. No sábado, Sarah Menezes já havia conquistado o bronze no peso ligeiro. Luciano Correa, no meio pesado, foi quinto. A seleção nacional contou com sete judocas de um total de 521 atletas de 81 países na competição.

Tiago Camilo leva golpe do japonês Daiki Nishiyama e fica com a prata na França

“Trouxemos para Paris apenas atletas que tiveram medalhas em Grand Slam e Mundiais em 2010 e o resultado mostra o acerto dessa estratégia. A comissão técnica pode se concentrar em cada um deles e em seus adversários. Todos tiveram uma participação muito boa, mesmo aqueles que ao conquistaram medalha”, disse o coordenador técnico da Confederação Brasileira de Judô, Ney Wilson.

Tiago Camilo fez, em Paris, sua segunda final consecutiva em Grand Slam, depois da prata no GS de Tóquio em dezembro de 2010. O atleta venceu todas suas lutas por ippon: contra Max Schirnhofer (AUT), Valentyn Grekov (UKR), Varlam Liparteliani (GEO) e Romain Buffet (FRA) até perder para Daiki Nishiyama por ippon na decisão do ouro.

“A final foi equilibrada e, faltando um minuto, tentei arriscar e entrar um ouchigari. Acabei sofrendo um contragolpe. Judô é assim, é preciso tomar decisões rápidas. Fiz isso durante toda a competição, sempre buscando o ippon, o que mais sei e gosto de fazer”, disse Camilo.

“Vou avaliar a melhor estratégia de participação nas próximas competições. Estou subindo no ranking. Mas isso é consequência dos meus treinos e lutas. Sei que competindo feliz e solto vou chegar onde quero. Voltei a lutar com a alegria de antes e os ippons estão saindo”, completou.

No feminino, mais uma medalha conquistada nos tatames do Ginásio de Bercy, a primeira de Mayra Aguiar na tradicional competição. “Como dizia a Edinanci, minha antecessora no meio-pesado, a gente tem que ser que nem piolho, estar sempre nas cabeças”, brincou a jovem judoca, referindo-se ao fato de figurar sempre entre as primeiras de sua categoria e, com isso, estar entre as dez mais bem colocadas do ranking mundial.

Até perder para a francesa Audrey Tcheumeu por yuko na semifinal, Mayra tinha vencido todas por ippon contra Jennifer Kuijpers (NED), Kaliema Antomarchi (CUB) e a americana Kayla Harrison.

“Esse ginásio aqui parece um campo de futebol! É mesmo especial conseguir uma medalha em Paris”, disse Mayra, que ganhou a ‘revanche’ da final do Mundial de Tóquio ao bater Harrison, que lhe tirou o ouro no Japão.

Leandro Cunha, Tiago Camilo, Luciano Correa, Daniel Hernandes e Erika Miranda seguem na França para treinamento até o final de semana. Na quinta-feira, o grupo recebe o reforço de Taciana Lima, Andressa Fernandes, Rafaela Silva, Ketleyn Quadros, Mariana Silva, Camila Minakawa, Maria Portela, Maria Suellen Altheman, Felipe Kitadai, Breno Alves, Alex Pombo, Bruno Mendonça, Victor Penalber, Nacif Elias, Leonardo Leite, Rafael Silva e David Moura para participar das Copas do Mundo de Budapeste (masculino), Viena e Praga (feminino), e do Grand Prix de Dusseldorf.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Pezão surpreende e vence Fedor no Strikeforce

Brasileiro nocauteou o russo no segundo assalto e garantiu vaga nas semifinais do GP de pesos pesados


Fedor Emelianenko já foi considerado uma lenda do MMA, como o melhor peso pesado durante boa parte da última década. Mas sua aura de invencibilidade, que durou cerca de oito anos, já não é a mesma. Depois de uma derrota para Fabrício Werdum em 2010, mais um brasileiro vitimou o russo. Neste sábado, Antonio Silva, o Pezão, é quem se deu bem contra Fedor, que já pensa em aposentadoria.

Os lutadores se encontraram na primeira edição do Grand Prix do Strikeforce. A competição adotou um formato diferente para seus pesos pesados, para competir com o UFC. Então, Fedor e Pezão fizeram uma das quartas de final para o título da categoria. E, se parecia que o caminho seria fácil para o russo voltar a ser campeão, o combate mostrou o contrário.

Em East Rutherford, New Jersey (EUA), Pezão conseguiu derrubar Fedor. A luta foi encerrada por decisão dos médicos. Após um segundo assalto muito forte, o olho do direito do russo se “fechou” devido aos golpes recebidos e foi dado o nocaute técnico em favor do brasileiro, que agora tem cartel de 16 vitórias e só duas derrotas no MMA – ele soma agora três vitórias após ter sido batido por Werdum em 2009.

“Todos ficaram falando de Fedor, Fedor, Fedor... Mas eu mostrei ao mundo quem sou”, afirmou Pezão.

“Algo deu errado desde o começo e não consegui me reajustar à luta. Talvez seja a hora de parar”, afirmou Fedor Emelianenko, visivelmente decepcionado com sua noite. “Talvez tenha sido a última vez. Eu tive um tempo lindo e longo no esporte, mas talvez seja o que Deus reservou para mim.”

Apesar da derrota, Fedor foi melhor no primeiro assalto, em pé. Ele conseguiu distribuir mais golpes, recusando-se a ir para o solo, especialidade do brasileiro – e uma lição que aprendeu na derrota para Werdum.

A luta foi para o chão no início do segundo round e foram quase quatro minutos até que Fedor conseguisse voltar a ficar de pé.

Pezão conseguiu acertar muitas vezes o rival, que começou a sangrar devido aos cortes, além de apresentar um grande inchaço.

Na volta ao corner, o russo queria continuar, mas foi aconselhado pelos oficiais da luta a parar.

Nas outras lutas da programação principal, só pesos pesados subiram ao ringue, sendo uma das lutas parte do GP do Strikeforce. A Rússia conseguiu uma vitória com Sergei Kharitonov , que venceu Andrei Arlovski, de Belarus, por nocaute no primeiro round, na outra chave do torneio.



Confira abaixo os resultados completos do evento:

Card Principal:
- Antonio “Pezão” Silva derrotou Fedor Emelianenko por nocaute técnico no R2;
- Sergei Kharitonov derrotou Andrei Arlovski por nocaute no R1;
- Shane Del Rosario finalizou Lavar Johnson com um arm-lock no R1;
- Valentijn Overeem finalizou Ray Sefo com um estrangulamento no R1;
- Chad Griggs derrotou Gian Villante por nocaute técnico no R1.

Card Preliminar:
- John Cholish finalizou Marc Stevens com uma chave de joelho no R2;
- Igor Gracie finalizou John Salgado com um triângulo de mão no R2;
- Sam Oropeza derrotou Don Carlo-Clauss por nocaute técnico no R1;
- Josh LaBerge derrotou Anthony Leone por nocaute técnico no R1;
- Jason McLean derrotou Kevin Roddy na decisão dividida dos juízes.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Boxe, Pugilismo

(Luta com os Punhos)


"Boxe é uma arte de ataque e defesa pelo uso dos punhos, que é modernamente chamado de Pugilismo, embora a palavra se origine do latim Pugil (Lutador com Cestus) que significa conjunto de correias de couro e placas de ferro e chumbo que guarneciam os punhos dos lutadores romanos na Grécia antiga ou pugillus que indica o 'punho fechado em forma de soco'. A palavra Boxe vem do verbo Inglês to box que significa bater, ou bater com os punhos, dito a 1000 a 1850 anos d.C. na Inglaterra e nos USA de 1850 a 1920. E difundido pelo resto do mundo a partir de 1920, aproximadamente. Atualmente, seu significado popular é luta com os punhos, nos clubes e academias de práticas esportivas. Os especialistas mais radicais interpretam a palavra boxe apenas quando se referem ao boxe inglês praticado a partir das Regras de Broughton (criadas em 1743) e usam a palavra pugilismo para denotar qualquer 'boxe' anterior a esse período". (Trecho com correções do site: http://www.cdof.com.br/boxe.htm)

Entenda melhor assistindo:

Boxeador ou Pugilista

"Aquele que pratica o boxe como profissão, meio de vida"

O que é ser um boxeador?

O boxeador é o profissional que pratica o boxe como profissão. O boxe é uma luta esportiva que utiliza os punhos, tanto para a defesa, quanto para o ataque. Modernamente chamada de pugilismo, o boxe é uma modalidade esportiva que tem adeptos em todo o mundo e possui regras, categorias, juízes, treinadores e equipamentos específicos a serem usados na luta. O boxeador tem um ritmo de treino muito acelerado e seu objetivo é vencer o adversário derrubando-o no ringue, ou golpeando-o mais vezes.

Quais as características necessárias para ser um boxeador?

Para ser um boxeador é necessário que o profissional goste muito de esporte e tenha disposição para treinar duro. Outras características interessantes são:

- disciplina
- força física
- disponibilidade para treinar
- responsabilidade
- flexibilidade
- capacidade de concentração
- facilidade para os esportes
- ser esportivo e saber perder uma luta

Qual a formação necessária para ser um boxeador?

Não existe formação necessária para ser um boxeador, pois por ser um esporte, o aprendizado vem com o treinamento. Existem muitas escolas, cursos e academias que possuem aulas de boxe. É necessário que o candidato se empenhe muito e treine duro para que o treinador reconheça seu esforço e seu talento. As categorias do boxe amador e profissional são divididas por peso e, uma vez que o profissional e o treinador se dispõem a realizar lutas, o pugilista vai subindo de categoria conforme sua vontade e o ganho de peso.

Principais atividades

- treinar constantemente
- exercitar-se constantemente
- alongar-se
- alimentar-se corretamente com ajuda de um nutricionista
- em vésperas de luta estar dentro do limite da pesagem, para poder se enquadrar na categoria
- lutar sempre que marcada a luta

Áreas de atuação e especialidades

Os golpes mais usados no boxe são:

Jab: Golpe muito eficaz por manter certa distância do oponente, geralmente utilizado como preparatório para outro golpe
Direto: Golpe potente, realizado com o braço de forma horizontal, golpeando frontalmente, de maneira rápida e forte
Cruzado: Golpe potente que tem como alvo a lateral da cabeça do adversário
Upper: golpe desferido de baixo para cima, visando atingir o queixo do oponente
Swing: golpe aplicado no maxilar do oponente e desferido de cima para baixo
Hook ou gancho: Golpe desferido de maneira a atingir a linha da cintura do oponente

Mercado de trabalho

O mercado de trabalho para o profissional de pugilismo é grande, porém faltam incentivos a esse esporte, já que no Brasil, infelizmente, não há tantos investimentos em esporte e cultura quando deveria. Porém, exixtem muitas escolas, cursos, academias e projetos sociais que formam esportistas e atletas muito aptos a participar de competições regionais ou até mesmo a representar o Brasil em competições internacionais.

Curiosidades

A palavra boxe vem do verbo da língua inglesa "to Box" que significa bater. Já a denominação mais moderna, pugilismo, vem do latim "pugil", que quer dizer "lutador com cestus", que eram espécies de luvas que protegiam os punhos dos lutadores, ou de "pugillus", que significa "punho fechado".

As lutas sem proteção eram muito populares e cruéis na Inglaterra do séc XVIII e XIX. O boxe, como esporte foi formulado em 1867, com regras que previam o uso de luvas e limitação de tempo nos rounds, porém, as regras só entraram em vigor em 1872. Depois das reformulações, o boxe só foi incluído nas Olimpíadas de 1912, em Estocolmo, ainda assim apenas como demonstração, passando a valer medalha somente nas Olimpíadas de 1920, na Antuérpia.

Hajime no Ippo - Um anime que nos transmite a essência do boxe!

Hajime no Ippo é uma destas séries imperdíveis, que faz até as pessoas sem nenhum interesse em boxe gostar do anime e até do próprio esporte. O anime chega a ser rico em detalhes sobre o boxe, mostrando vários estilos de lutas, formas de treino e o cotidiano de um pugilista. É difícil parar de ver os episódios, isto porque a história flui de uma maneira leve e agradável, com vários momentos bem medidos de drama, ação, romance e comédia (que faz dar altas risadas).

Outro dos aspectos interessante nesta série é a música e desde já recomendo ouvir o tema de abertura da série, “Under Star” pelos Shocking Lemons. As músicas que compõem a trilha sonora são bastante variadas e percorrem desde o rock até a música eletrônica, tudo isto misturado com música clássica.

A série também possui um OVA intitulado de Hajime no Ippo - Mashiba vs. Kimura e um filme chamado Hajime no Ippo - Champion Road.

Hajime no Ippo (O Primeiro Passo), é um anime de boxe baseado no manga escrito por George Morikawa e publicado na revista japonesa Shonen Magazine em 1989. Desde o seu lançamento ele fez um tremendo sucesso até finalmente virar anime em 2000 através da Madhouse com um total de 76 episódios.

O anime não termina a história, a série chega somente até o volume 30 do mangá, que atualmente está no volume 88 e ainda falta muito para chegar ao fim no Japão.

Sabemos quando um anime é bom quando não conseguimos parar de assisti-lo. Este é o caso de Hajime no Ippo: é começar a assistir e não querer parar mais.


História

Ippo Makunouchi é um rapaz de 16 anos muito tímido, porém, diferente dos outros adolescentes, ele gasta a maioria do tempo livre ajudando a sua mãe na loja de pesca da família. Devido ao trabalho, ele nunca possui tempo livre para praticar desporto e fazer amigos e fica com um cheiro horrível de peixe e acaba sendo gozado pelos outros alunos. Ou seja, a sua vida não é das melhores.

Um dia voltando para casa, Ippo é interceptado por três companheiros de escola que decidem dar-lhe uma surra, deixando-o quase inconsciente. Por sorte por ali passava Takamura Mamoru, um pugilista veterano que chegou a ser campeão juvenil japonês. Ele salva Ippo e o leva para o ginásio de boxe para tratar dos seus ferimentos. Depois que se recupera, Takamura pede a Ippo bater no saco de areia, e ao vê-lo socar, todos ficam impressionados se perguntando como alguém que nunca treinou boxe conseguia ter um soco tão forte (força essa adquirida depois de vários anos carregando caixas cheias de gelo para pesca). Ao ver que Ippo tem talento, Takamura decide emprestar alguns vídeos de boxe. O jovem decide então seguir os passos de Takamura, e começa a treinar para se tornar um pugilista, dando à sua vida um objetivo: saber "o que é ser forte". E começa o caminho de Ippo, rumo a se tornar um grande pugilista.



Para baixar os episódios visite o 'site' da Sports Project!

Hoje o MMA tomou o lugar do Boxe em popularidade e mídia!?

Antigamente o UFC era um evento bem 'underground'...

Lembro-me bem de quando garoto que eu tinha que alugar as fitas K7 dos primeiros UFC's para poder assistir.


Bons tempos de Royce Gracie, Marcos Ruas, Pedro Rizzo, Shamrock, Severn etc...


Antigamente também, a geração do boxe era muito popular... lendas como César Chávez, De La Roya, Tyson, Foreman, Holyfield entre outros...

Hoje parece que o boxe perdeu muito espaço para o UFC... ou simplesmente perdeu a força.

Depois que Popó parou, raramente se transmite uma luta, ou se fala de boxe em programas esportivos. Já o UFC, está tendo uma supervalorização, tendo eventos transmitidos ao vivo pro Brasil e atletas como o Minotauro indo em programas populares difundir o esporte...

Isso está fazendo muitos atletas desistirem do boxe e irem para o mundo do MMA... como se só restasse essa opção.

Seria a falta de ídolos no Boxe ou é o fato do UFC ser mesmo um esporte de luta mais completo e mais bem promovido?

Wanderlei Silva faz as pazes com Alejarra e desafia Belfort: 'Agora não tem para onde correr'

Afastado do octógono desde Julho de 2010 em função de uma cirurgia no joelho direito, um dos maiores nomes do MMA brasileiro está próximo do retorno. Wanderlei Silva, o 'cachorro louco', vai enfrentar o perigoso Brian Stann na edição 130 do UFC, em Las Vegas, no dia 28 de Maio.

E, na preparação para o combate contra o norte-americano, uma 'novidade'. Após meses de troca de acusações e até mesmo processo judicial, o preparador físico Rafael Alejarra voltou a fazer parte da equipe de Wanderlei.

"O que me fez feliz foi poder conversar olho no olho com o Wanderlei de novo, poder abraçar ele. A gente se gosta. Ele sabe que tem um amigo aqui", afirmou Alejarra, em entrevista à revista Tatame.

Através de sua página oficial no Twitter (@wandfc), o 'cachorro louco' também comentou sobre o encontro de paz que teve com o treinador: "Vimos que um não deve nada ao outro. Eu disse aqui que ele moveu uma ação contra mim, e agora tenho a atitude de homem de dizer que ele a retirou".

Antes de se desconectar da rede social, na noite de quinta-feira, Wanderlei não perdeu a oportunidade de mandar um recado ao desafeto Vitor Belfort, derrotado por Anderson Silva no último sábado na disputa pelo cinturão dos médios do UFC: "E aí, Belfort, agora você não tem para onde correr".

O 'cachorro louco' irá enfrentar Brian Stann na edição 130 do UFC, em Las Vegas

Contra hegemonia do UFC, Strikeforce revive 'charme' do Pride com GP de pesados

Quando o UFC ainda engatinhava junto ao público de MMA, o Pride já era o maior torneio do mundo e brilhava, principalmente, pelas disputas no formato Grand Prix, os GPs. Com o fim do show japonês, o formato ficou relegado a pequenas competições, mas o Strikeforce resolveu reviver o charme dessa disputa com o que tem de melhor. A meta? Bater de frente com o UFC, maior evento do esporte na atualidade.

Começa neste sábado, em Nova Jersey, o GP dos pesos pesados com alguns dos nomes mais importantes do MMA mundial. Nessa primeira perna da disputa, a estrela será o russo Fedor Emelianenko, considerado um dos melhores lutadores de todos os tempos, mas que vem de derrota para Fabrício Werdum. Seu adversário será o também brasileiro Antonio Silva, o Pezão.

O sistema de disputa é muito simples: foi montada uma chave, como nos torneios de mata-mata do futebol, e os confrontos de quartas de final foram sorteados dentre os principais pesos pesados do torneio. Quem vencer, passa à semifinal e o ganhador da decisão receberá o cinturão de campeão do GP. Esse será o golpe mais forte do Strikeforce na tentativa de combater a hegemonia do UFC no cenário do esporte.


O próprio Fedor conquistou boa parte de sua fama ao levar o GP dos pesados do Pride, além do próprio título da categoria no torneio japonês. Essa será a oportunidade de o russo mostrar que ainda pode ser considerado o melhor do mundo depois de sua derrota para Werdum. “Normalmente, assisto minhas lutas apenas uma vez depois delas, mas essa – tenho de assumir – assisti muitas. Muitas sozinho e outras muitas com meus amigos.”

Por outro lado, aos 34 anos, Emelianenko assume que esse Grand Prix do Strikeforce pode ser a disputa final de sua carreira. “Para falar a verdade, eu realmente sinto minha idade e cada vez mais penso em aposentadoria, mas quero lutar tanto tempo quanto eu conseguir. Vou chegar ao fim desse contrato e sendo campeão, podem apostar.”

Mas se Fedor está em busca de afirmação, quem está surfando no bom momento é Fabrício Werdum. O gaúcho vem como estrela do torneio e roubando a cena dos grandes nomes. Mesmo assim, mantém a cautela. “Não posso me considerar um dos favoritos, meu foco agora é apenas meu treinamento. E não é brincadeira, mais devo ter visto mil vezes minha luta com o Fedor, pois ela foi muito importante para mim.”

Além de Emelianenko e Werdum, o GP dos pesados do Strikeforce conta com importantes nomes do MMA como o holandês Alistair Overeem, rival de Fabrício, atual campeão dos pesados do torneio e do GP do K-1; além de dois ex-campeões dos pesados do UFC: o norte-americano Josh Barnett e o bielorrusso Andrei Arlovski.

As próximas pernas das quartas de final da disputa ainda não têm datas oficiais, mas a expectativa é que a seguinte seja em 9 de abril e contando com Werdum x Overeem na luta principal, além de Josh Barnett contra Brett Rogers. Também há a especulação que uma delas ocorra no Japão, no segundo semestre.


O Strikeforce: Fedor Emelianenko vs. Antonio Silva acontece na madrugada deste sábado para domingo, a 1h (de Brasília) e terá transmissão do canal por assinatura HBO Plus.

A luta do século é destaque nas redes sociais

O combate entre Anderson Silva e Vitor Belfort gerou mais 240 mil mensagens nos 10 primeiros dias de fevereiro

O combate entre Anderson Silva e Vitor Belfort, realizado no último dia 6, em Las Vegas, gerou números impressionantes. Além do recorde de vendas de PPV no Brasil, com mais de 100 mil assinaturas, o confronto também movimentou as redes sociais. O IBOPE informou que a “a luta do século” gerou um volume de comentários maior que as manifestações no Egito e o incêndio na Cidade do Samba.

De acordo com o instituto de pesquisa, nos 10 primeiros dias de fevereiro, foram mais de 240 mil mensagens originadas de perfis brasileiros mencionando o confronto. Já na madrugada do dia 6, data da luta, o pico das discussões chegou a 100 mil publicações.

Mesmo após o confronto, a luta ainda era destaque na rede, já que nos últimos dias os internautas continuaram a falar do combate, fazendo comparações do chute frontal de Anderson com o lance que resultou na expulsão de Hernanes, na partida entre Brasil e França, realizada na quarta-feira.

Anderson Silva comemora a vitória no primeiro round sobre Belfort

Veja abaixo os principais momentos da luta, que ocorreu durante o UFC 126, em Las Vegas. Com um chute que aprendeu com Steven Seagal, Anderson Silva nocauteou Vitor Belfort ainda no primeiro round.



Fonte: UOL Esportes

Anderson Silva e sua carreira no MMA

Anderson estreou no Mecca, em sua primeira luta, foi derrotado pelo também brasileiro Luiz Azeredo por decisão dividida dos juízes. [6] Após essa luta, conseguiu nove vitórias seguidas, sendo seis delas por (T)KO. Nessa série de vitórias, ele venceu Hayato Sakurai, luta em que obteve o título de campeão peso médio do Shooto.

Pride e Cage Rage

Em 2002, Silva passou a lutar no PRIDE. Em sua primeira luta venceu Alex Steibling. Anderson venceu também, o então campeão dos pesos meio-médios, o canadense Carlos Newton. Silva ganhou com uma joelhada depois de Newton tentar golpeá-lo.
No Pride 26, Silva enfrentou Daiju Takase, que considerando seu cartel até então de quatro vitórias e sete derrotas, credenciava a Anderson o favoritismo. Porém, o japonês conseguiu uma queda logo no início na luta, e conseguiu manter no chão até finalizar o brasileiro com um triângulo.

Após a derrota para Takase, Anderson Silva lutou em outros eventos. No Conquista Fight 1, venceu o brasileiro Waldir dos Anjos por nocaute técnico. Em 2004, lutou no Gladiator FC: Dia 2 enfrentou o lutador Jeremy Horn, na qual obteve uma vitória por decisão. Três meses depois, Silva fez sua estreia no Cage Rage na Inglaterra. No Cage Rage 8 Anderson lutou e derrotou Lee Murray por decisão.

Naquele mesmo ano, Silva retornou ao Pride para enfrentar Ryo Chonan. O japonês conseguiu finalizar Anderson Silva no terceiro assalto após sofrer vários golpes durante a luta.
Após a derrota, Anderson continuou a lutar no Cage Rage, e em outros eventos. Depois de defender com sucesso duas vezes seu título no Cage Rage, Anderson Silva lutou no Rumble on the Rock 8 contra Yushin Okami na primeira fase do torneio dos médios. Nesta luta chutou o rosto de Okami em posição de guarda, que pelas regras do evento era proibido. O japonês poderia voltar a luta, mas prefiriu não continuar, o que resultou na desqualificação de Anderson Silva.

Carreira no UFC

No ano de 2006, Silva passou a combater no Ultimate Fighting Championship no evento Ultimate Fight Night 5, com vitória sobre Chris Leben. No dia 14 de outubro de 2006, no UFC 64, Anderson Silva teve a oportunidade de disputar o cinturão da categoria de pesos médios no UFC contra Rich Franklin, onde venceu no primeiro round de forma arrasadora.[8] Foi o segundo oponente que derrotou Franklin, depois de Lyoto Machida.

Defesas do Cinturão

Em 3 de fevereiro de 2007, UFC 67, estava programado para Anderson lutar contra o vencedor o reality show "The Ultimate Fighter 4" Travis Lutter. Contudo o adversário se apresentou acima do limite peso da categoria dos médios de 84 quilos, então a luta não era válida pelo título. Nessa luta Anderson Silva venceu o adversário faixa-preta de jiu-jítsu com um triângulo no segundo assalto.

Na luta seguinte, no UFC 73 em 7 de julho de 2007, Anderson Silva defendeu com sucesso seu título contra Nate Marquardt, vencendo por nocaute técnico em 4:50 do primeiro assalto. Três meses depois, no dia 20 de outubro de 2007 no UFC 77, Silva lutou uma revanche defesa do título contra o Rich Franklin, na cidade natal de Franklin em Cincinnati, Silva defendeu seu cinturão ao derrotar Franklin por TKO no segundo assalto.

Em 1 de março de 2008, no UFC 82, Silva lutou contra o campeão dos médios do Pride, Dan Henderson, em uma disputa de unificação de título (títulos do UFC e Pride). Anderson defendeu o seu título ao derrotar Henderson com um mata-leão no segundo assalto.[9]
Cerca de quatro meses depois, no UFC Fight Night: Silva vs Irvin em 19 de julho de 2008, Silva fez sua estreia nos meio-pesados (até 93 kg) contra James Irvin. Anderson venceu por nocaute em 1:01 do primeiro assalto.

Após a unificação dos títulos, em 25 de outubro de 2008 no UFC 90 em Chicago, Anderson Silva voltou a defender seu título dos médios, desta vez contra Patrick Côté. No terceiro assalto, Côté sentiu dores no joelho após desferir um chute. O árbitro Herb Dean declarou a luta encerrada pois Patrick Côté não poderia continuar a luta, e declarou vitória de Anderson Silva por TKO.

No UFC 97 Anderson Silva lutou e venceu Thales Leites por decisão unânime, defendendo seu cinturão e obtendo sua nona vitória consecutiva no UFC, recorde do evento. Thales Leites foi o único homem, até então, na história do UFC a lutar com Anderson Silva nos 5 assaltos até a decisão dos juízes. A multidão vaiou várias vezes o seu desempenho sem brilho, expressão entediada, e as tentativas frustradas de incitar o seu adversário na luta, e no 4º e 5º assalto, Anderson chegou a dançar, e baixar a guarda e golpeou o adversário, sem que houvesse retaliação.

No UFC 101, Silva mais uma vez lutou nos meio-pesados, desta vez contra o ex-campeão da categoria Forrest Griffin. Griffin foi derrubado por três vezes no primeiro assalto. Após o terceiro knockdown, Forrest sinalizou que ele estava acabado, e Silva foi declarado vencedor por nocaute.

Em Abu Dhabi, no UFC 112, Anderson ganhou do brasileiro Demian Maia por decisão unânime dos juízes. A luta foi criticada mundialmente, pelo desleixo de Anderson durante a luta, e pelo fato de não ter nocauteado o adversário, mesmo com uma superioridade absurda sobre o mesmo. O chefão do UFC, Dana White disse que se sentia envergonhado e decepcionado com a apresentação de Anderson, após casar essa luta em um dos maiores evento de UFC da história, economicamente falando e principalmente por ter sido o evento de estréia em Abu Dhabi, onde se esperava um show e não uma luta como aquela como main event.

No UFC 117, em uma luta difícil, após perder os quatro primeiros rounds contra o estadunidense Chael Sonnen, Anderson Silva partiu para o tudo-ou-nada no último round e acabou conseguindo uma vitória extraordinária em uma finalização com um triângulo. [16] Nesta luta Anderson afirmou ter lutado com a costela trincada, contra as recomendações de seu médico.

A próxima luta do Anderson seria uma revanche para Chael Sonnen, mas o mesmo foi pego no exame anti-dopping. Sendo assim, Silva defendeu e manteve o cinturão dos médios no UFC 126, que aconteceu no dia 6 de fevereiro de 2011, em Las Vegas, onde ele lutou contra o compatriota Vitor Belfort. A luta durou pouco menos de 3 minutos, com Belfort nocauteado por um forte chute frontal no rosto, disparado por Silva.


Anderson Silva - Destaques